Front-end x Back-end: qual é a diferença?

Cada vez mais, os programadores de hoje em dia decidem mergulhar no fascinante universo front-end e back-end e existem muitas e muitas razões para isso! Existem aqueles que amam design gráfico e querem dar um passo além, levando suas criações para a interface de um site, até aqueles que gostam de esmiuçar bancos de dados e API’s, ou explorar o funcionamento interno dos servidores - ou, em outras palavras, explorar tudo aquilo que os usuários não podem ver.

Dependendo da paixão de cada um, a especialização pode ser feita em front-end ou back-end. Embora a tecnologia não pare de evoluir, e que esses dois campos estejam cada vez mais interligados, ainda existem algumas diferenças importantes que os separam. 

É verdade, as habilidades necessárias para trabalhar com back-end e front-end são muito parecidas mas, ainda assim, é preciso alguns conhecimentos específicos inerentes a cada um, e é sobre isso que vamos nos debruçar por aqui.

O lado mais fascinante do desenvolvimento front-end

Como o próprio nome já sugere, o desenvolvimento front-end abrange a configuração e o design de tudo o que nós vemos quando usamos um site ou um app. É o lado visual do trabalho que normalmente atrai os programadores que se interessam por design gráfico. A tarefa desses programadores é criar interfaces bonitas e intuitivas, tornando a experiência do usuário muito fluida e intuitiva.

Para desenvolver essas interfaces, os programadores usam três ferramentas principais: HTML, CSS e JavaScript. É importante dizer que especialmente a linguagem JavaScript vem ganhando espaço no desenvolvimento front-end, substituindo outras tecnologias, como a JQuery, que acabou se tornando obsoleta. Outros frameworks foram criados dentro do JavaScript, como o React e o Angular, que facilitam o trabalho de um programador e que permitem a criação de elementos que são posteriormente replicados em outras áreas da plataforma em construção.

Para trabalhar com front-end, também é preciso dominar ferramentas que não são tradicionalmente usadas por programadores, como softwares de edição de imagens (como o Photoshop), ou plataformas como Figma ou Sketch, que permitem criar protótipos, visualizar a navegação na plataforma e testar diferentes conceitos antes de finalizar o desenvolvimento do site ou do app, por exemplo.

Como desenvolvedor front-end, seu trabalho é usar todas essas tecnologias e linguagens para construir o visual e o design do app ou do site em questão, com o grande objetivo de gerar um certo sentimento entre os usuários para que eles tenham vontade de voltar. Não é uma tarefa fácil.

Por que você optaria pelo desenvolvimento back-end?

Aqueles que decidem por se especializar no desenvolvimento back-end são aqueles que preferem configurar bancos de dados, descobrir como otimizar o desempenho do servidor e assim poder lidar adequadamente com a carga de trabalho; e são, ainda, aqueles que sabem tirar proveito dos recursos que as APIs de terceiros podem fornecer para alcançar funcionalidades excelentes. Ou seja, um desenvolvedor back-end lida com tudo o que está fora da visão dos usuários que visitam um site ou um app e fornecem seus dados para registrar ou fazer uma compra nessa plataforma.

Os desenvolvedores back-end usam muitas linguagens de programação diferentes no dia a dia, como o PHP, Ruby, Python, Java ou JavaScript. O trabalho deles é garantir que os sites funcionem sem problemas e otimizar o tempo de resposta. Atualmente, o trabalho de um desenvolvedor back-end é cada vez mais valorizado, já que as páginas se tornaram cada vez mais dinâmicas e demandam atualizações constantes, ao contrário de alguns anos atrás, quando os sites e aplicativos eram mais estáticos. Além disso, eles precisam ter bastante conhecimento sobre bancos de dados relacionais, como o MySQL e o Oracle, e bancos de dados não relacionais, como o MongoDB.

E se você quiser o melhor dos dois mundos?

Você não seria o primeiro. Se você se interessa tanto pela parte de design de front-end, quanto pela parte do desenvolvimento back-end, é possível direcionar a sua carreira para se tornar um Full-stack Developer. Embora ainda exista algum ceticismo em torno desse perfil, considerando que é melhor se especializar em uma área ou em outra, a verdade é que as empresas estão investindo cada vez mais em Full-stack Developers que tanto são capazes de desenhar as interfaces, como conseguem dominar toda a infraestrutura que existe por detrás.

Se você tem as habilidades e a curiosidade necessária para ganhar experiência profissional no desenvolvimento back-end e front-end, você pode decidir se inscrever no bootcamp de Desenvolvimento Web da Ironhack. 

Você aprenderá sobre as tecnologias mais avançadas usadas no desenvolvimento front-end, como HTML5 Canvas, JavaScript ou React, e também no desenvolvimento back-end; se familiarizar com o Node.js; aprender a configurar servidores com o Express ou bancos de dados com o MongoDB. 

Todas essas habilidades são muito procuradas pelas empresas de tecnologia, o que pode ser uma grande vantagem na hora que você quiser entrar no mercado de trabalho e no mundo da programação/desenvolvimento. E então, front-end ou back-end? O que mais te chama? Ou...talvez você queira o pacote completo! Será que se tornar um Full-stack developer será o seu destino?

Junte-se à IronhackPronto para participar?

Siga os passos de mais de mil mudanças de carreira e empreendedores que lançaram suas carreiras na indústria de tecnologia com bootcamps Ironhack.

Conheça os nossos cursosProcure pelos nossos campus

Artigos do blog sobre Web development

Veja mais artigos em nosso blog
Cadastre-se na nossa newsletter e fique por dentro das novidades e eventos da Ironhack!
Por favor, escreva seu nome
Por favor escreva seu sobrenome
O endereço de e-mail inserido não é válido. Por favor, tente novamente