Codificando seu caminho de Madrid até Silicon Valley

Marta Fonda

Co-fundadora de Mindly (feita em Silicon Valley), madrilena, mulher e, claro, Ironhacker, Marta Fonda fala sobre sua experiência na Ironhack como aluna do bootcamp de Web development em Madrid.

Quando e por que você decidiu que queria se inscrever num bootcamp na Ironhack?

Quando me formei na faculdade, onde estudei engenharia e administração de negócios, percebi que não havia sido exposta a nenhum tipo de projeto de desenvolvimento web ou móvel além do projeto final. Apesar disso, comecei a procurar empregos mas não me sentia confortável com as opções comuns como consultoria ou auditoria. Além disso, naquela época eu estava completamente fora do circuito em termos do ambiente das start-ups e não tinha nenhum contato empresarial, então me conformei com as tecnologias multinacionais que existem desde sempre, como IBM e Microsoft.

Passei por inúmeras entrevistas sem sucesso, nas quais, claramente, não tinha experiência de trabalho, mas também nas quais minha paixão e motivação para minha carreira foram reconhecidas e apreciadas. Foi no mês de agosto quando eu recebi um e-mail de Xavi Leal (obrigada Xavi!) falando sobre esse novo modelo de educação revolucionário chamado de Ironhack: um curso intensivo de 8 semanas que ensinou web development de pilha completa.

É importante observar que no momento eu estava vagamente familiarizada com HTML, CSS, e um pouco de JQuery (nem mesmo com JavaScript!), e para meu projeto final da faculdade eu usei Symfony2, um framework que tinha acabado de sair e era bastante popular, e PHP. Considerando meus conhecimentos limitados de programação, mas estado ciente de que “se Xavi contou sobre isso, deve valer a pena”, deu o primeiro passo e acessei o site da Ironhack.

Lá no site, fiquei agradavelmente surpresa ao ver os rostos conhecidos de Javi Jiménez e Carlos Ble. Foi amor à primeira vista para mim quando comecei a ler sobre o bootcamp de Web development de meio período, então decidi me inscrever para o próximo curso em Madrid. Depois de apenas uma semana de processos de admissão e entrevistas, comecei minha incrível jornada como parte da família da Ironhack.

Conte-nos sobre algum momento durante o bootcamp em que teve um problema e teve que resolvê-lo

Ao longo de seu tempo na Ironhack, você enfrentará vários problemas, mas o importante é não desistir e resolvê-los. Meu problema mais memorável na Ironhack surgiu enquanto eu trabalhava no projeto final. Eu decidi usar Bootstrap como meu framework para o frontend e Heroku para lançar meu aplicativo no Rails, mas quando tentei compilar os ativos, as coisas não saíram exatamente como planejado. Após incontáveis dores de cabeça e dois dias de pesquisas no Google, decidi lançar o aplicativo na Amazon com a ajuda do meu mentor Alex Martin.

Eventualmente eu tive um golpe de sorte, o primeiro evento que eu fui após me formar na Ironhack foi o Natal MadridRB, onde todos os alunos voltaram e se reuniram. Foi nesse momento que eu conheci Raul Murciano, engenheiro de software na Heroku, e falei para ele sobre o problema com meu projeto final e descobri que era o mesmo erro que eles estavam tentando resolver na Heroku. Algumas semanas depois, Raul me enviou a solução ao problema que ambos tínhamos. Esse exemplo de soluções compartilhadas e estender uma mão é fundamental para o valor da minha experiência como aluna da Ironhack.

Qual foi sua maior conquista pessoal na Ironhack?

Essa é uma pergunta difícil! Meu tempo na Ironhack esteve cheio de experiências de aprendizado e realizações pessoais, mas o que mais me orgulha é minha recém-descoberta capacidade de controlar o estresse. Houve um momento durante o bootcamp em que eu precisava aprender e absorver tudo de uma vez, e os fundadores da Ironhack que se juntaram a nós durante os eventos sociais, como conferências e encontros de networking, me ajudaram a ter uma noção de como fazer isso.

Você concorda que a Ironhack não é só trabalho duro, mais também divertido? Pode nos comentar algum momento em que você experimentou isso?

Claro! Houve muitos momentos divertidos durante meus dois messes na Ironhack, de tardes com Sergio Arbeo até as muitas sessões de yoga com a turma. Se tivesse que destacar uma experiência única mais especial, escolheria os fins de semana trabalhando com os meus colegas. Graças ao nosso grupo diversificado de matemáticos e especialistas em jogos de estratégia, e muito hacking, desenvolvemos um robô para competir contra outro robô do bootcamp no Canadá. É claro que nosso robô era tão avançado que o bootcamp canadense não se atreveu a competir contra nós.

Sem dúvidas, o aprendizado é o fator principal da Ironhack. Qual foi seu maior aprendizado na Ironhack?

Você sai da Ironhack não apenas com conhecimentos de programação, mas também com habilidades pessoais e interpessoais. Acredito que minha experiência na Ironhack gerou uma mudança fundamental na minha vida em termos de habilidades técnicas e concretas junto com as intangíveis. Eu devo tudo isso às pessoas incríveis que conheci aqui, que me ensinaram que não há necessidade de medo ou pressão, só o desejo de continuar aprendendo e trabalhando duro.

Dada a sua experiência na Ironhack, você recomendaria outra pessoa para participar?

Sim! Sem dúvida. É por isso que eu comecei a escrever um blog no primeiro momento, para que futuros Ironhackers tenham uma visão interna de toda a experiência, da perspectiva de um aluno. Por exemplo, eu fiz parte do primeiro bootcamp de Web development em Madrid e entrei completamente por capricho. Se alguém estiver planejando unir-se ao bootcamp, meu testemunho será de muita ajuda. Eu entrei na Ironhack simplesmente para aprender web development e saí não apenas com competências em linguagens e teorias, mas também com conhecimentos das práticas recomendadas, uma ótima família e, sobre tudo, uma rede incrível de contatos que foram cruciais quando chegou o momento de desenvolver minha carreira profissional.

Depois de se formar na Ironhack, que tipo de oportunidades profissionais você teve?

Desde o começo (do fim), na verdade, durante o Hackshow, me ofereceram muitas vagas. Não foi até dois dias depois que a Floqq, uma start-up de ensino, me contatou. Foi apenas questão de semanas antes que eu passasse no seu desafio de codificação e já estivesse trabalhando em seus escritórios.

Comecei como desenvolvedor de frontend e ganhei o título de gerente de produto alguns meses depois. A Floqq não apenas foi um lugar onde eu conheci pessoas incríveis e fundamentais para minha carreira, mas com certeza foi uma das experiências mais enriquecedoras da minha vida. Um mês após partir da Floqq, fui para Silicon Valley para co-fundar minha start-up, Mindly. Esse foi um grande salto para mim, e também o maior desafio de mina vida até agora, embora eu tenho certeza de que há muito mais por vir.

Um componente básico da Ironhack é o aprendizado. O que significa o aprendizado para você?

Para mim, aprender é compartilhar conhecimentos e experiências. Eu sempre disse que a melhor maneira de aprender é ensinando, então busquei experiência ensinando diferentes coisas, inclusive web development, tanto pessoalmente quanto on-line. Participar de eventos, falar com amigos e compartilhar experiências é tudo parte do aprendizado e, em minha opinião, é muito mais eficaz do que memorizar conteúdos de um livro. Eu realmente acredito que a melhor maneira de aprender é ensinando e agindo.

Um componente básico da Ironhack é o “desenvolvimento”. O que significa a “inovação” para você?

Para mim, a inovação vem de não estar em conformidade. Por exemplo, sempre me considerei inovadora porque nunca me conformei. Eu sempre quero mais, desejo continuar aprendendo e melhorando não só tecnicamente mas também pessoalmente. Quando você fica estagnado é quando para de ser inovador.

Finalmente, qual conselho daria à nova geração de Ironhackers?

Compromisso e consistência. Com essas dois coisas, você estará pronto. Uma das coisas que mais me orgulha é que eu aproveitei muito meu tempo na Ironhack. Lembro-me de sair de eventos muito tarde pela noite e adormecer no trem ou no ônibus no caminho para casa. O cansaço tomou conta do meu corpo, mas nuca deixei de vir nos fins de semana para trabalhar ou ir a eventos e conhecer pessoas, nunca perdi uma conferência ou uma aula. A verdade é que o tempo voa na Ironhack; então levem isso em conta e tirem vantagem de cada minuto. E quando terminar, continuem aprendendo da maneira que fizeram nas semanas anteriores.

Cadastre-se na nossa newsletter e fique por dentro das novidades e eventos da Ironhack!
Por favor, escreva seu nome
Por favor escreva seu sobrenome
O endereço de e-mail inserido não é válido. Por favor, tente novamente